A Igreja é Top-down ou bottom-up?

Quem vive no ambiente corporativo já deve ter ouvido estas duas expressões pelo menos uma vez na vida. De modo bem simplista, Top-down e Bottom-Up são metodologias de gestão bem diferentes entre si. Na metodologia Top-down as decisões são tomadas de cima pra baixo. É a tradicional gestão na qual os dirigentes analisam os cenários e impõe a forma como as operações devem ser realizadas pelos seus subordinados. Já na metodologia Bottom-up, mais “moderninha”, todos os setores participam ativamente das definições. Também pode ser entendida como uma abordagem horizontal da administração, na qual os subordinados participam ativamente, influenciando a administração de dentro para fora, de baixo para cima.

Me lembrei destes dois termos ao ler um artigo do Rev. Hernandes Dias Lopes, sobre o cuidado que devemos ter com nossas crianças nesta sociedade pluralista que estamos vivendo. Neste artigo o Rev. Hernandes expõe uma metodologia de ação dos pais e da igreja na educação das crianças. Em poucas linhas, ele usa um dos Salmos para ensinar aos pais como educar e influenciar seus filhos na sã doutrina para que eles, por sua vez, influenciam a sociedade e a cultura. Eis aí o método Bottom-up sendo ensinado para gestão das famílias cristãs e das igrejas.

Entretanto, muito me preocupou o curto comentário de um leitor do artigo que sugeriu algumas medidas adicionais ao texto do Rev. Hernandes, tais como; mudanças legislativas que tornem obrigatória uma base de valores cristãos aos pedagogos das escolas públicas, além de líderes cristãos que atuem com autoridade do Estado sobre as famílias, o casamento e a educação das crianças. Eis aí o método Top-down sendo sugerido para a gestão das famílias cristãs e não cristãs.

Minha preocupação vem do fato de que este indivíduo, sem nenhum pudor, torna explícito um desejo velado que se tem percebido no discurso de muitos cristãos brasileiros, nos últimos anos. Uma forte propensão de impor Top-down os valores cristãos, por vias estatais. O grande problema é que este método é totalmente contrário aos ensinos de Jesus, com fáceis comprovações bíblicas e históricas danosas, não só para a sociedade, como também para a Igreja de Cristo. O método cristão Top-down já foi aplicado por diversas vezes na história do mundo, inclusive aqui no Brasil, com Jesuítas que colocavam índios numa encruzilhada nefasta entre a conversão ou a morte. É espantoso perceber que há uma multidão de evangélicos e até líderes cristãos influentes que não conseguem ou não querem fazer um simples exercício de projeção e previsão do horizonte que temos à nossa frente ao tomarmos este caminho coercitivo.

Creio ser urgente falarmos contra esta aspiração coercitiva dentro de nossas igrejas e principalmente de nos aprofundarmos no desenvolvimento de métodos Bottom-Up que influenciem nossas crianças, adolescentes e jovens para que eles, por sua vez, temperem o mundo com o Evangelho de Cristo, debaixo da liberdade, da graça e da paz de Cristo Jesus.

‘Jesus os chamou e disse: “Vocês sabem que os governantes das nações as dominam, e as pessoas importantes exercem poder sobre elas. Não será assim entre vocês. Ao contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo, e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo; como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”.’ – Mateus 20:25-28

Transformai-vos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *