Acalásia

Este blog é antes de qualquer coisa um diário público da minha vida. Sendo assim, devo registrar aqui minhas dores e sabores. Hoje, vivo uma dor. Depois de muitos meses passando apuros com acidez e refluxos, fui diagnosticado com Acalásia. Parece o nome de uma planta bonita, mas não é. Trata-se de uma disfunção do esôfago na passagem para o estômago. Isso tem me impedido de me alimentar. Já perdi uns 10 quilos e estou aguardando o agendamento da cirurgia para reparar este problema. Por isso, aproveito para pedir sua oração por minha saúde.

Nada é mais forte do que a privação de algo pra gente entender o quanto aquilo é precioso. Estar com fome, diante do alimento e não conseguir comer é angustiante. Por isso, tenho refletido sobre tantas coisas que por termos acesso a tanto tempo, desdenhamos. A gente come como se fosse simples ter e poder comer. A gente bebe como se fosse algo permanente e imutável. A gente deita na cama como se ela sempre fosse estar ali. É, ao mesmo tempo, o benefício e o prejuízo da fartura. Ter tanto e por tanto tempo que se perde a noção da preciosidade.

Mas não é só de coisas materiais. Pela fartura, também desdenhamos do afeto das pessoas que amamos. Nosso pai, nossa mãe, nossa esposa, marido e filhos estão ali, diante de nós, quase sempre. Então, lidamos com eles como se fossem eternos. Valorizamos suas chatices diárias e pormenorizamos toda beleza e privilégio de conviver com eles diariamente. Estamos fartos de afeto e esta é nossa benção e também nosso prejuízo. Deus em sua soberana sabedoria sabe disso e, por isso, muitas vezes nos priva, para que as escamas da fartura caiam e nos permitam ver.

Por falar nisso, também fazemos isso com Ele. Temos diante de nós, ou melhor, em nós, o Espírito Santo e com ele todos os recursos de graça que o Pai nos ofereceu por Jesus. Porém, muitas vezes também desdenhamos de tudo isso e vivemos como céticos e infiéis. Não oramos, não louvamos e não nos alimentamos com a santa palavra. Talvez, por isso, em algumas ocasiões Deus parece se ausentar. Pra nos livrar do prejuízo da fartura, da petulância de acharmos que ele é um servo que está ao nosso serviço apenas quando precisarmos dele. As vezes, Ele nos assusta com seu silêncio para percebermos o vazio de sua ausência.

A Acalásia, assim como muitas outras enfermidades, são pedagógicas. Elas nos ensinam a ser como as plantas que sempre buscam mais e mais a profundidade do solo e mais e mais a claridade do Sol. É assim que eu quero ser enquanto tiver vida, pois é isso que a privação sempre me ensinou. Mais e mais da vida, mais e mais amor, mais e mais de Deus, pois a vida é em si essa busca.

Transformai-vos!

2 comentários em “Acalásia”

  1. Exatamente Lucas. Temos a tendência de “pormenorizar’ aquilo que teoricamente temos sob controle. Muito oportuna a sua reflexão! Que a graça e a bondade de Deus restabeleça a sua saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *