Como ser um cristão medíocre?

A ideia já é bem batida. Fazer uma lista de coisas a fazer para alcançar algo negativo. Uma espécie de psicologia reversa! Tem bastante na internet porque desperta a atenção dos usuários displicentes. Porém, essa pergunta nasceu no meio de um estudo bíblico da minha igreja, na qual conversávamos sobre a Graça Especial de Deus, a entrega de Cristo por nós que é suficiente para nossa salvação. Acho interessante que sempre que falamos sobre a Graça, alguém costuma fazer uma indagação sobre a nossa parte no processo. Algo do tipo: – Mas então é fácil! Não precisamos fazer nada?

Foi aí que joguei uma bomba no salão do nosso grupo de estudo, ao afirmar que podemos viver uma vida cristã medíocre, pois a qualidade da vida cristã é algo que está sob nossa responsabilidade. Essa afirmação disparou alguns gatilhos nas pessoas presentes, por isso resolvi ampliar minha pesquisa, perguntando isso em um post nas redes sociais. A reação mais radical foi duvidar que possa existir vida cristã medíocre. Porém, essa afirmação se comprova em diversos textos bíblicos que deixam bem claro a situação dos cristãos, tanto nos Evangelhos (vida dos apóstolos), quanto nas cartas de Paulo exortando fortemente as igrejas, e até em Apocalipse onde Cristo, por meio de João, fala sobre a mornidão da igreja de Laodiceia. Porém, um dos textos que mais gosto é o ensino de Paulo aos Filipenses, quando diz:

‘Assim, meus amados, como sempre vocês obedeceram, não apenas na minha presença, porém muito mais agora na minha ausência, ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor, ‘ – Filipenses 2:12 NVI

O texto acima deixa bem claro que temos a responsabilidade de colocar nossa salvação em ação, em movimento, em desenvolvimento. Ela deve fluir, ela precisar ser exercitada por nós, os talentos não devem ser enterrados, para não sermos medíocres.

Quanto aos gatilhos, o primeiro deles foi o da confissão. Algo que se resume com a frase: “Estou sendo um cristão medíocre. Eu poderia viver mais para Deus e para o seu Reino.”. O segundo gatilho foi o da defesa. A pergunta: “Como ser um cristão medíocre?” soou nestas pessoas como um julgamento da vida cristã alheia e não como uma oportunidade para a reflexão. Soou como o questionamento de alguém que está a bisbilhotar a vida do outro para encontrar pecados e leniências.

Gostei muito de observar as reações, mas agora preciso fazer jus ao título deste post, apresentando a tal da psicologia reversa em 4 passos simples:

Primeiro: para ser um cristão medíocre você precisa abandonar os meios de graça privados, porque eles são os nutrientes da sua vida cristã. Abandone sistematicamente a prática da oração e do estudo da Bíblia. Deixe de se apresentar diante de Deus com suas alegrias, tristezas, gratidões e ansiedades. Este é o passo mais importante.

Segundo: abandone também os meios de graça públicos, a comunhão com a Igreja de Cristo, com os irmãos na fé. Abandone o sacramento de Cristo quanto a Ceia, sua memória e etc.

Terceiro: Ignore as ordenanças de Cristo quanto a se esforçar para amar o próximo, mesmo que seja seu inimigo. Se convença de que isso é impossível e uma total loucura. Deixe isso pra lá, porque é difícil demais.

Quarto: esqueça a sua missão dada por Cristo a todo cristão. Ignore o IDE de Cristo, desvalorize o “fazei discípulos”. Esqueça o “Eis-me aqui. Envia-me a mim!”. Viva pra você e só. Isso é o bastante.

Ao ler estes passos, provavelmente você deve estar se perguntando: Mas é possível viver assim e ser cristão?

Sim, porém, uma coisa eu te digo por experiência própria de um cristão muitas vezes medíocre. Vai doer. Vai doer porque Deus em sua soberania vai te constranger, te torcer e até te quebrar em alguns momentos da vida para que você retorne a uma vida cristã frutífera e saudável. Sabe o porquê? Porque você é Dele, porque você foi comprado por um alto preço. Por isso, aconselho que você não tome esta direção, porque ela será triste, dolorosa, decadente e medíocre.

Portanto, o que vamos dizer? Será que devemos continuar vivendo no pecado para que a graça de Deus aumente ainda mais? É claro que não! Nós já morremos para o pecado; então como podemos continuar vivendo nele? Com certeza vocês sabem que, quando fomos batizados para ficarmos unidos com Cristo Jesus, fomos batizados para ficarmos unidos também com a sua morte. Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova. ‘ – Romanos 6:1-4 NTLH

Assista também este vídeo sobre o Desenvolvimento da Salvação:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *