Recalcitrar

Recalcitrar

Pegar estrada não é algo fácil pra mim, por já ter sofrido um acidente de carro. Sempre fico tenso, porém, essa tensão também me ensina. Sempre vi a estrada como uma metáfora da vida e neste sentido, dirigir me ensina muito. Desta vez, pegamos mil quilômetros entre ida e volta. Neste chão todo, refleti sobre nossa incapacidade de saber o que a estrada nos reserva logo à frente. Um pneu estourado, um animal atravessando a pista, uma carreta nos fechando sem aviso. Não sabemos o que a vida nos reserva daqui a vinte, trinta ou duzentos quilômetros, mas Deus sabe.

Foi aí que me lembrei da frase de Jesus, relatada por Paulo em seu discurso de defesa ao Rei Agripa: “Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões.” – Atos 26.14

Sempre gostei muito desta frase, na qual Jesus mostra sua soberania a Paulo, também com uma metáfora, na qual fica claro que estamos debaixo da soberania de Deus e que recalcitrar ou resistir a essa soberana vontade é tão inútil como tentar se soltar de pesadas e resistentes algemas. Mais do que inútil, este esforço também é doloroso.

Com as mãos no volante, a estrada diante de mim e esta frase de Jesus em mente, perguntei: Como posso, então, viver de acordo com estas algemas?

Hoje sei que constantemente recalcitro contra Deus. Não só os pecados morais tão conhecidos, mas também os pequenos descaminhos diários. Essas mini-recalcitrações do dia-a-dia. Esses pequeninos atos que nos afastam de Deus e daquela vida abundante que Cristo nos apresenta.

Como deixar de resistir a Deus e a sua vontade?

A resposta óbvia chegou depois de alguns quilômetros: Orando!

Quanto mais a gente ora, mais a gente percebe essas mini-recalcitrações e também percebe a vontade de Deus para nossa vida. Nosso propósito. As boas obras que Ele nos preparou.

Porém, a oração não é uma estrada de mão única. Orar não é só falar, pedir, clamar. Orar é pra ser um exercício de tornar-se sensível para o que Deus tem feito em nossa vida, com as coisas ordinárias do dia-a-dia. Orar, antes mesmo da linguagem, é voltar-se pra Deus. Deixar de recalcitrar começa por este ato de conversão diária. Voltar para o Jardim de Deus, no sentido contrário de Adão e Eva e, então, de volta ao Jardim, dizer como o profeta Isaías: Eis-me aqui! Envia-me. Envia-me aos próximos quilômetros, de acordo com a sua santa vontade.

Transformai-vos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *