Pois é

Pois é

Me apaixono por elas. Vivo com elas uma breve e intensa história de amor. Depois as abandono. Parto pra outras, sem remorso ou arrependimento. Porém, uma vez, me apaixonei por uma e a perdi antes da paixão acabar. Ela se foi. Como não tinha guardado seu nome, não consegui encontrá-la. A procurei por anos, até que esqueci, me envolvendo com outras. Porém, fiquei com a sensação daquele amor mal acabado que poderia ter sido mais intenso que os outros.

Este ano ela voltou pra mim, sem que eu a procurasse. Nos reencontramos em um momento propício ao meu corpo e alma. Ela me ajudou a compreender algo que me faltava neste momento de pandemia, quarentena e o assombro da iminência da enfermidade. Por isso, me apropriei dela, como se fosse só minha, pois aprendi com ela que diante desses temores e do desconhecido agir de Deus, devo apenas me entregar. Aprendi com ela a deixar o amanhã, pra poder sorrir, hoje. Pois é de Deus tudo aquilo que não se pode ver. Ela me ensinou que o coração deve insistir em bater, apesar dos assombros lá fora. Assim, ela clareou minha vida, no olhar. Desta vez guardei seu nome e a coloquei na minha playlist para consumi-la repetidamente:

Ela é a música: Pois é
Artista: Los Hermanos

Pois é, não deu
Deixa assim como está sereno
Pois é de Deus
Tudo aquilo que não se pode ver

E ao amanhã a gente não diz
E ao coração que teima em bater
Avisa que é de se entregar o viver
Avisa que é de se entregar o viver
Pois é, até
Onde o destino não previu
Sei mas atrás vou até onde eu consegui
Deixa o amanhã e a gente sorri
Que o coração já quer descansar
Clareia minha vida, amor, no olhar
Clareia minha vida, amor, no olhar

Assim como você não conhece o caminho do vento, nem como o corpo é formado no ventre de uma mulher, também não pode compreender as obras de Deus, o Criador de todas as coisas.
Eclesiastes 11:5 NVI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *