Caídos

Eu voava alto porque tinha um grande par de asas / Até que um dia caí / E aqui estou nesse terreiro de samba / Ouvindo o trabalho do Céu / E aqui estou nesse terreiro de guerra / Ouvindo o batalha do Céu / Nesse terreiro de anjos caídos / Cá na Terra trabalho é todo dia / Levantar quebrar parede / Matar fome matar a sede / Carregar na cabeça uma bacia / Esse terreiro de anjos / Esse errar que é sem fim/ Essa paixão tão gigante / Esse amor que é só Seu / Esperando Você chegar / Precário, provisório, perecível / falível, transitório, transitivo / Efêmero, fugaz e passageiro / Eis aqui um vivo, eis aqui um vivo! / Impuro, imperfeito, impermanente / Incerto, incompleto, inconstante / Instável, variável, defectivo / Eis aqui um vivo, eis aqui… / E apesar… / Do tráfico, do tráfego equívoco / Do tóxico, do trânsito nocivo / Da droga, do indigesto digestivo / Do câncer vil, do servo e do servil / Da mente o mal doente coletivo / Do sangue o mal do soro positivo / E apesar dessas e outras… / O vivo afirma firme afirmativo / O que mais vale a pena é estar vivo! / É estar vivo / Vivo / É estar vivo / Não feito, não perfeito, não completo / Não satisfeito nunca, não contente / Não acabado, não definitivo / Eis aqui um vivo, eis-me aqui. / Enquanto todo mundo / Espera a cura do mal / E a loucura finge / Que isso tudo é normal / Eu finjo ter paciência… / O mundo vai girando / Cada vez mais veloz / A gente espera do mundo / E o mundo espera de nós / Um pouco mais de paciência… / Será que é tempo / Que lhe falta prá perceber? / Será que temos esse tempo / Prá perder? / E quem quer saber? / A vida é tão rara / Tão rara…

Cordel do Fogo Encantado – Os Anjos Caídos (ou A Construção do Caos) /
Vivo – Lenine/Carlos Rennó
Paciência – Lenine

Você também pode gostar de:

5 Comentários

Deixe uma resposta